Você está aqui

Posicionamento

A Ordem perante Religiões Tradicionais e Ordens Iniciáticas

Com certa frequência a Ordem é questionada se possui liturgias ou ensinamentos exclusivamente cristãos, ou se apenas cristãos podem pertencer à irmandade templária.

Na verdade, a Ordem do Templo, mesmo na Idade Média, procurou sempre atingir a Verdade Primordial e não uma faceta única da compreensão desta verdade. Foi assim que ela buscou unir o conhecimento do Oriente e do Ocidente e este foi um dos motivos relevantes que atraiu a Inquisição sobre ela.

Existem de fato, dentro do simbolismo templário, muitos símbolos cristãos. Nos rituais realizados em seus templos, por exemplo, é comum o uso do canto gregoriano, que tem caráter cristão, longe de significar, todavia, que a Ordem seja exclusivamente cristã. Também podem ser encontrados diversos símbolos cabalistas, alquímicos e herméticos.

A Ordem do Templo, na verdade, é e sempre foi Universalista e prega ampla tolerância de pensamento, seja teológico, seja filosófico. Isso significa que os integrantes da irmandade templária são preparados para se tornarem livres pensadores e usufruir de ampla liberdade de pensamento, até mesmo, para frequentar outras associações ou organizações religiosas, utilizando-se do discernimento adquirido na Ordem, fundamentado em profundo conhecimento universalista, para separar o joio do trigo, sem contudo, deixar que tal interfira nas nobres atitudes esperadas de toda templária e de todo templário.

Nos templos da Ordem podem ser encontrados os Livros Sagrados das principais religiões tradicionais, ou seja: a Bíblia (Cristianismo), a Torah (Judaísmo), o Alcorão (Islamismo), os Sutras (Budismo), as Tríadas (Druidismo), o Bhagavad-Gita (Hinduismo), etc. Os membros da Ordem devem conhecer e estudar os princípios de cada crença tradicional, a fim de possuirem uma cultura ampla e universal, que lhes permita aprimorar ou desenvolver a religiosidade e tirar suas próprias conclusões, como livres pensadores. Sob o ponto de vista templário, esta é uma forma segura e sensata de poder estabelecer em cada um de seus membros, as bases do conhecimento e da espiritualidade que podem levar à verdadeira Sabedoria e à Iluminação.

A Ordem oferece oportunidades para se viver sob elevada espiritualidade, até mesmo monacal, em meio ao mundo familiar e profissional. Por isso, evita os inexplicáveis dogmas. Todo membro deve buscar uma crença universalista, sob ampla liberdade e tolerância, na medida em que esta envolva um princípio divino e esteja em harmonia com os princípios templários fundamentais. Todos sempre têm a liberdade para buscar sua compreensão pessoal da Divindade, dentro da mais ampla autonomia e tolerância possíveis, respeitadas as formas de pensamento filosófico e teológico compatíveis - por isso a Ordem refere-se à Divindade ou Deus desconhecido, pois sua essência é compreendida de forma plural, de acordo com as convicções de cada ser humano. Neste sentido, a religiosidade templária manifesta-se sob a égice da tolerância e do esclarecimento, em lugar de imposições e preconcebimentos.

A Ordem vê outras Ordens Iniciáticas Tradicionais como coirmãs, na medida em que sejam igualmente reconhecidas, no campo espiritual, pela Grande Fraternidade Universal, da qual emana todo o conhecimento, pois são vários os caminhos que levam à Verdade Primordial. Da mesma forma, ela sempre busca manter boas relações com organizações e religiões tradicionais que desempenham um trabalho importante e compatível com os Ideais templários.

É importante salientar que a Ordem Sagrada do Templo e do Graal (O.S.T.G.) é uma organização autônoma, independente e soberana e, portanto, não se subordina a qualquer outra, salvo à Hierarquia do Templo e do Graal, que lhe deu origem e lhe transmitiu seu Legado.

Finalmente, mais uma vez chama-se a atenção dos peregrinos-buscadores sinceros para que tenham cuidado especial com todos aqueles que se dizem portadores de todas as verdades e de todo o conhecimento... Os que realmente os possuem, não tem necessidade de provar nada a ninguém... E os que dizem tudo saber, já desconhecem o significado da Verdadeira Sabedoria!